Perguntas e Respostas

Sintomas da Pneumonia e mais...


- Pneumonia: o que é?

Pneumonia é uma infecção aguda que acomete os pulmões e pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus, fungos e, mais raramente, micobactérias.

- Sobre as bactérias, elas são as principais causadoras?

São as principais causadoras das pneumonias adquiridas fora do ambiente hospitalar na população geral. A principal é uma bactéria chamada pneumococo. - A pneumonia leva a quais sintomas?

Os sintomas principais são tosse, expectoração (catarro), falta de ar e dor torácica.

Febre, fraqueza e falta de apetite, que são sintomas mais gerais podem estar presentes.

Um quadro de gripe pode levar a estes mesmos sintomas, já que o vírus da gripe pode ser um causador de pneumonia. Os sintomas da gripe geralmente incluem também secreção nasal, dor de cabeça, dor de garganta e dor de ouvido. - Como é feito o diagnóstico da pneumonia?

Através dos sintomas sugestivos de pneumonia, do exame físico realizado por um médico e, de preferência, uma radiografia do tórax.

- Existe remédio para pneumonia?

Se for uma pneumonia bacteriana o tratamento é com antibióticos. Entre os vírus que mais causam pneumonia o único que possuí tratamento específico atualmente é o influenza (gripe). Um paciente com pneumonia deve ser avaliado quanto à necessidade de internação, algumas vezes sendo indicado cuidados intensivos (UTI) - Existe vacina para pneumonia?

Sim, é uma ótima forma de prevenção da pneumonia. Existem duas vacinas que podem ser usadas como profilaxia contra a pneumonia propriamente dita: a antipneumocócica, que protege contra o pneumococo (a principal bactéria causadora de pneumonias), e a vacina contra o influenza (o vírus da gripe), que também é causa de pneumonia.

- Quem deve tomar? Qual deve ser a periodicidade?

São muitos os esquemas de vacinação para pneumonia. Quando falamos da vacina antipneumocóccica, as indicações dependem da faixa etária, do risco individual de desenvolver pneumonia e da possibilidade de acesso às vacinas fora do calendário preconizado pelo Ministério da Saúde. Tratando-se da vacinação contra influenza, está indicada em dose única anual para indivíduos que não possuam contraindicações e tenham mais de 6 meses de idade. Apesar desta indicação quase universal, só receberão através do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde indivíduos com fatores de risco específicos. O ideal é consultar um médico infectologista que irá indicar o esquema caso a caso.

- Porque idosos são mais propensos a ter pneumonia?

São várias as causas e não todas estão bem estabelecidas, mas existe associação com desordens de deglutição e desnutrição, que são mais frequentes nessa faixa etária do que em adultos mais jovens.

- As doenças crônicas aumentam o risco de pneumonia?

Sim, pacientes com certas doenças crônicas tem mais risco de adquirir pneumonia, especialmente aqueles portadores de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) ou algum tipo de imunossupressão (pacientes com doenças reumatológicas em uso de imunobiológicos ou pacientes com aids, por exemplo).

- O manejo da doença nos idosos é mais complicada?

Sim, a idade avançada por si só já é considerada um fator de gravidade. Além disso, nesses pacientes os sintomas costumam ser mais frustros, por vezes dificultando o diagnóstico. Já quando estamos na fase de prescrição de tratamento é necessário ter em mente que os antibióticos podem ter interações com outros medicamentos de uso habitual, coisa comum nesta faixa etária.

- A gripe também facilita o aparecimento da pneumonia? Como?

A gripe age como um facilitador para o aparecimento de uma pneumonia causada por uma bactéria pois a infecção do pulmão pelo vírus influenza leva a uma quebra na barreira de proteção natural do pulmão.

- Tomar a vacina contra a gripe protege da pneumonia? Por quê?

Sim, por dois motivos principais: por diminuir a chance de adquirir pneumonia pelo próprio vírus influenza e por diminuir também a chance da gripe agir como facilitador da pneumonia causada por bactérias.

Temas