Perguntas e Respostas

COVID-19: perguntas e respostas

Escrito em 16/03/20, atualizado em 17, 18, 19, 21, 23 de março e 3, 6, 20 e 22 de abril, última atualização em 3/7.

Olá,

Senti necessidade de organizar minhas ideias em forma de texto, já que são muitas fontes de informação e dúvidas.

E começo pontuando que o ideal é buscar a informação direto de fontes confiáveis, no caso as que tenho usado são: a organização mundial de saúde, o ministério da saúde, o governo do estado de são paulo e o CDC.

Uptodate é uma fonte secundária confiável também da área da saúde e tenho ouvido também muitos podcasts de notícias do estadão e da BBC.

Minha intenção não é substituir essas fontes, acho que todos devem ir atrás da informação e fazer sua própria análise crítica, mas acabo respondendo individualmente várias vezes a mesma pergunta e ter isso organizado aqui pode me ajudar e pode ser interessante para alguns de vocês.

Dá para usar a estratégia de busca no site e ir atrás de uma palavra específica se acharem o texto muito longo. Para facilitar dividi em 3 partes: prevenção, doença e diversos

PARTE 1 - PREVENÇÃO

Como se dá a transmissão da COVID-19?

A transmissão da COVID-19 se dá através do contato de alguma mucosa (olhos, nariz e boca) com gotículas contaminadas com o vírus. A doença se espalha principalmente de pessoa para pessoa através de gotículas que que são expelidas quando uma pessoa com COVID-19 tosse, espirra ou fala. Essas gotículas são relativamente pesadas, não viajam para longe e caem rapidamente no chão. As pessoas podem pegar o COVID-19 se respirarem essas gotículas de uma pessoa infectada pelo vírus. É por isso que é importante ficar pelo menos 1 metro longe dos outros. Essas gotículas podem cair em objetos e superfícies ao redor da pessoa, como mesas, maçanetas e corrimãos. As pessoas podem ser infectadas ao tocar nesses objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca. É por isso que é importante lavar as mãos regularmente com água e sabão ou limpar com álcool.

Fonte: Perguntas e respostas da OMS

Como posso me proteger? [medidas essenciais]

Você pode reduzir suas chances de ser infectado ou espalhar o COVID-19 tomando algumas precauções simples:

- Limpe regularmente e cuidadosamente as mãos com álcool gel ou lave-as com água e sabão.

Por quê? Lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool nas mãos mata vírus que podem estar nas suas mãos.

- Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre você e qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando.

Por quê? Quando alguém tosse ou espirra, pulveriza gotículas do nariz ou da boca, que podem conter vírus. Se você estiver muito próximo, poderá respirar as gotículas contaminadas com o vírus COVID-19, se a pessoa que tossir tiver a doença.

- Evite tocar nos olhos, nariz e boca.

Por quê? As mãos tocam muitas superfícies, que podem estar contaminadas com gotículas que contêm o vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz ou boca. A partir daí, o vírus pode entrar no seu corpo e deixá-lo doente.

- Fique em casa e se isole, mesmo com sintomas leves, como tosse, dor de cabeça, febre leve, até se recuperar.

Peça a alguém que lhe traga mantimentos. Se precisar sair de casa, use uma máscara para evitar a infecção de outras pessoas.

Por quê? Evitar o contato com outras pessoas os protegerá de possíveis COVID-19 e outros vírus.

- Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico, mas ligue com antecedência, se possível, e siga as instruções da autoridade de saúde local.

Por quê? As autoridades nacionais e locais terão as informações mais atualizadas sobre a situação em sua área. Ligar com antecedência permitirá que seu médico o direcione rapidamente para o centro de saúde certo. Isso também irá protegê-lo e ajudar a evitar a propagação de vírus e outras infecções.

(leia mais abaixo sobre a plataforma teleSUS no tópico “O que fazer se estiver doente?”)

- Evite ir a lugares lotados.

Por quê? Onde as pessoas se aglomeram é mais provável que você entre em contato próximo com alguém que tenha a COVID-19 e é mais difícil manter a distância física de 1 metro.

- Certifique-se de que você e as pessoas ao seu redor seguem uma boa higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou um lenço quando tossir ou espirrar. Em seguida, descarte o lenço usado imediatamente.

Por quê? Gotículas espalham vírus. Ao seguir uma boa higiene respiratória, você protege as pessoas ao seu redor contra vírus como resfriado, gripe e COVID-19.

- Mantenha-se atualizado sobre as informações mais recentes de fontes confiáveis, como a OMS ou suas autoridades de saúde locais e nacionais. Por quê? As autoridades locais e nacionais estão em melhor posição para aconselhar sobre o que as pessoas na sua área devem fazer para se proteger.

Fonte: Perguntas e respostas da OMS

Como posso me proteger? [medidas adicionais]

- Mantenha os ambientes bem ventilados

- Não compartilhe objetos pessoais (como copos, talheres, escova de dentes…)

Fonte: Ministério da saúde

- Isolamento de sintomático: domiciliar ou hospitalar dos casos suspeitos por 14 dias.

- Idosos e doentes crônicos em áreas com transmissão comunitária: recomendar restrição de contato social (viagens, cinema, shoppings, shows e outros locais com aglomeração)

Dica minha mesmo: se seus pais não tem ainda, ensinem eles a usar o rappi e fazer um estoque bom de mantimentos e medicações em casa.

- Vacinar contra influenza (veja mais abaixo no tópico: devo me vacinar?)

Fonte: Boletim epidemiológico do Ministério da Saúde

A OMS recomenda o uso da máscara de pano pela população geral?

Atualmente, o uso generalizado de máscaras não é suportado por evidências científicas de alta qualidade. Há benefícios e danos potenciais a serem considerados.

No entanto, existem algumas situações nas quais talvez não seja possível manter o distanciamento físico e o uso de uma máscara pode ser útil para fornecer uma barreira para limitar a propagação de gotículas potencialmente infecciosas de alguém infectado. Além disso, existem algumas evidências que sugerem que algumas pessoas infectadas sem mostrar sintomas podem transmitir o vírus a outras.

Por esse motivo, a OMS recomenda que os governos incentivem o uso de máscaras de tecidos não médicos, que podem atuar como uma barreira para impedir a disseminação do vírus do usuário para outros onde há muitos casos de COVID-19, para o público em geral onde o distanciamento físico de pelo menos 1 metro não é possível - como em transporte público, em lojas ou em outros ambientes confinados ou lotados.

É importante observar que as máscaras devem ser usadas apenas como parte de uma estratégia abrangente. Máscaras por si só não o protegerão do COVID-19. As pessoas também devem limpar as mãos com frequência, manter uma distância de pelo menos 1 metro das outras e evitar tocar olhos, boca e nariz.

Fonte: Perguntas e respostas da OMS sobre máscaras

Devo usar a máscara de pano?

Você deve seguir as recomendações locais sobre o uso das máscaras de pano.

No Estado de São Paulo atualmente é obrigatório o uso de máscaras em espaços comuns, sob pena de multa.

Fonte: Resolução SS - 96, de 29-6-2020.

Quem deve usar as máscaras cirúrgicas?

As máscaras cirúrgicas podem proteger as pessoas que usam a máscara de serem infectadas e também impedir que aqueles que apresentam sintomas as espalhem.

A OMS recomenda que os seguintes grupos usem máscaras médicas:

- Trabalhadores de saúde

- Qualquer pessoa com sintomas sugestivos de COVID-19, incluindo pessoas com sintomas leves

- Pessoas que cuidam de casos suspeitos ou confirmados de COVID-19 fora das unidades de saúde

Máscaras cirúrgicas médicas também são recomendadas para pessoas dos grupos de risco (veja abaixo no tópico “quem tem mais risco de sesenvolver doença grave), quando estão em áreas de transmissão comunitária e não podem garantir uma distância de pelo menos 1 metro de outras pessoas:

Fonte: Perguntas e respostas da OMS sobre máscaras

PARTE 2 - DOENÇA

Quais os sintomas mais comuns?

Os sintomas mais comuns são febre, cansaço e tosse seca.

Alguns pacientes podem ter dores musculares e articulares, congestão nasal, coriza, dor de garganta, dor de cabeça, conjuntivite, perda do paladar, perda do olfato, vermelhidão na pele, descoloração nos dedos e/ou diarreia.

Os sintomas são habitualmente leves e se iniciam gradualmente.

Algumas pessoas se infectam, porém não desenvolvem sintomas e não se sentem mal.

A maioria das pessoas (em torno de 80%) se recupera da doença sem nenhum tratamento específico.

Aproximadamente 1 a cada 5 pessoas que adoecem por COVID-19 ficam extremamente graves e desenvolvem dificuldade de respirar.

Fonte: Perguntas e respostas da OMS

Quem tem mais risco de desenvolver doença grave?

Enquanto ainda estamos aprendendo sobre como o COVID-2019 afeta pessoas, idosos e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas, doenças pulmonares, câncer ou diabetes) parecem desenvolver doenças graves com mais frequência do que outros.

Fonte: Perguntas e respostas da OMS

Se você tem algumas das condições médicas citadas acima, procure manter um bom controle delas, tome suas medicações direitinho e siga a dieta recomendada, se for o caso.

No Estado de São Paulo são consideradas comorbidades: hipertensão arterial, diabetes mellitus, asma e doença pulmonar obstrutiva crônica. Pacientes com deficiências na imunidade também são considerados grupo de risco.

Fonte: Resolução SS-28

O que fazer se estiver doente?

O Ministério da Saúde criou a plataforma teleSUS para verificar sintomas e esclarecer dúvidas sobre o novo coronavírus (COVID-19). Alguns casos serão encaminhados para consulta virtual com um médico ou enfermeiro. Se você está pensando em procurar um serviço de saúde, use primeiro essa plataforma para evitar uma saída desnecessária.

Outras maneiras disponibilizadas pelo Ministério são o disk saúde (136), o WhatsApp (61 99380031) e o aplicativo Coronavírus - SUS. Aqui o link do Google play, tem na Apple store também.

Estou doente, devo ficar isolado?

A recomendação da OMS e do Governo do Estado de São Paulo é de que as pessoas com sintomas de gripe ou resfriado comum, mas com bom estado de saúde, permaneçam em ambiente isolado em casa por 14 dias.

Esse auto-isolamento pode evitar idas desnecessárias aos serviços de saúde e exposição da comunidade a pessoas doentes.

Lembrando que a mesma portaria Ministério recomenda que também fiquem em isolamento domiciliar os que residem na mesma casa que o sintomático.

Enquanto estiver em casa dê preferência por ficar em quarto individual bem ventilado, não receba visitas e faça repouso.

Adaptado do: Portal do Governo do Estado de SP

Quanto tempo devo ficar isolado?

As recomendações mais atuais da OMS são:

Se você teve sintomas, você deve permanecer isolado por pelo menos 10 dias desde o início dos sintomas, desde que esteja há 3 dias sem sintomas (sem febre e sintomas respiratórios).

Se você não teve sintomas, apenas um teste positivo, deve permanecer isolado por 10 dias.

Fonte: Guia de manejo clínico da OMS

Aqui no Brasil, a recomendação ainda é o isolamento por pelo menos 14 dias, do doente e seus contatos domiciliares.

Fonte: portaria Ministério

Preciso coletar algum exame para sair do isolamento?

Não. Se você já preenche as condições acima pode sair do isolamento, não sendo recomendável a realização de nenhum exame adicional.

Fonte: Guia de manejo clínico da OMS

Existe alguma vacina, remédio ou tratamento para a COVID-19?

Não existe no momento nenhuma vacina ou medicação específica para o tratamento ou prevenção da COVID-19.

Alguns remédios sintomáticos, tradicionais ou domésticos podem proporcionar conforto e aliviar os sintomas de COVID-19 leve.

A OMS não recomenda a automedicação com nenhum medicamento, incluindo antibióticos, como prevenção ou cura para o COVID-19.

No entanto, existem vários ensaios clínicos em andamento de medicamentos ocidentais e tradicionais.

A OMS está coordenando esforços para desenvolver vacinas e medicamentos para prevenir e tratar o COVID-19 e continuará fornecendo informações atualizadas assim que os resultados da pesquisa estiverem disponíveis.

Fonte: Perguntas e respostas da OMS

PARTE 3 - DIVERSOS

O governo brasileiro está tomando as medidas corretas? As restrições deveriam ser mais duras?

É uma situação muito difícil e complexa, nunca vivemos algo assim e acho que ainda ninguém tem ideia de quanto será o impacto.

Mas é fato que se evitarmos exposições desnecessárias diminuímos o pico da epidemia.

Aqui no Brasil, apesar da atitude inexplicável do presidente, acho que as medidas tomadas até agora são adequadas. Tem que ir mesmo reavaliando a cada dia.

São muitas coisas na balança para decidir como serão as restrições, já que o impacto delas é imenso e multissetorial.

Além disso, não sabemos por quanto tempo as medidas serão necessárias e quanto tempo as populações aguentam medidas muito restritivas.

Para algumas pessoas ficar sem trabalhar significa ficar sem ter dinheiro para comer.

Façam o que puderem, mas lembrem-se que cada um tem sua realidade!

Aqui você encontra um resumo de todas as medidas do Governo de SP tomadas até agora e aqui estão as da prefeitura de São Paulo.

Como eu posso ajudar?

A OMS lançou uma plataforma para doações, mas estou tentando ainda descobrir como doar pois não estão aceitando pagamentos brasileiros facilmente.

Faço doações regulares aos médicos sem fronteiras, que também estão atuando nessa pandemia. Acho uma instituição fantástica!

Além disso, se cuide, busque fontes confiáveis, pense 2x antes de compartilhar…

Pense em continuar pagando as pessoas que prestam serviços a você eventualmente e que não estão sendo solicitadas para nenhum trabalho agora, como diaristas, manicures, massagistas...

Devo ir na minha consulta de rotina com você?

Nesse momento fico muito preocupada com o fato da consulta poder levar a uma exposição desnecessária a um serviço de saúde, então vamos conversar antecipadamente e avaliar a situação. Não colham exames antes de falar comigo! Na maioria dos casos tenho conseguido fazer muito bem a consulta no formato de teleorientação, como denominado pelo CFM. Se está com alguma dúvida relativa a essa recomendação fale comigo, por favor.

Alguma recomendação especial para pessoas vivendo com HIV?

Por enquanto não há nenhum dado que indica risco aumentado de doença grave por COVID-19 em pessoas vivendo com HIV.

Há um esforço no sentido de liberar medicação para um período mais prolongado para evitar idas desnecessárias a serviços de saúde.

Leia mais: Ministério da Saúde

Devo me vacinar?

Dia 23/3 começou a campanha do SUS para vacinação contra a gripe e recebi diversas perguntas nesse sentido.

Para começo de conversa, TODOS têm indicação de tomar essa vacina a não ser que haja alguma contra-indicação formal, como alergia grave a um de seus componentes, por exemplo.

O SUS não consegue fornecer para todos, então há campanhas para alguns grupos de risco. Se não estiver em um desses grupos e tiver condição de fazer no particular, faça!

Aqui no Estado de São Paulo a vacinação foi extendida para toda a população e vai até 24 de julho.

Como a recomendação no momento é evitar aglomerações, sugiro que planejem bem antes de sair para se vacinar (tentem ligar no serviço para verificar se há um horário mais tranquilo, por exemplo).

Aqui você encontra informações sobre os locais de vacinação do SUS na cidade de São Paulo.

Sempre que possível, aproveite essa visita para atualizar sua carteira vacinal, peça ao atendente que cheque as vacinas faltantes e indicadas para você.

Como você está?

Por enquanto tá tudo bem, agitado, mas tudo bem.

Muitas dúvidas, muitas mensagens e muita coisa para estudar!

Como estou amamentando e grávida não estou atendendo diretamente os pacientes no emílio. Ainda estou trabalhando, em formato de teletrabalho.

Apesar dos percalços, é muito bom ser infectologista para estar por dentro do que está acontecendo e poder ajudar a orientar os conhecidos queridos.

Minha filha está linda demais e faço um esforço enorme para deixar tudo isso de lado e aproveitar os momentos com ela

Obrigada pela preocupação =)

É seguro pedir comida?

Essa é outra pergunta que respondi bastante, pode ser seguro, se o estabelecimento que você escolher tomar todos os cuidados para que não haja contaminação da sua comida ou das embalagens com as gotículas e secreções do trato respiratório de alguém transmitindo a COVID-19. E lembre-se de sempre lavar bem as mãos antes das refeições.

Esse texto do Governo de São Paulo, tem outras informações sobre o consumo seguro de alimentos, está bem completo e simples de entender.

Como cuidar da minha saúde mental?

Dicas minhas também: faça exercícios, marque uma reunião virtual com seus amigos e familiares, medite. Gosto desse americano Sean Vigue que tem diversas aulas de pilates e yoga no Youtube e do aplicativo de meditação Calm.

Quer participar de uma entrevista ou uma live?

Agradeço os diversos convites que recebi, mas, neste momento, com o trabalho e a bebê em casa, infelizmente não consigo tempo para dedicar a isso.

Uso a medicação naproxeno, tenho algum risco adicional?

Não há nada até o momento que indique que haja risco adicional, porém deve-se atentar para o fato desse medicamento ser também antitérmico, fazendo com que apenas sintomas respiratórios (como tosse, expectoração e falta de ar) já levantem a suspeita de possível COVID-19.

Onde posso obter informações atualizadas sobre o número de casos de COVID-19 no Brasil e no mundo?

Visite o dashboard da OMS aqui e o painel Coronavírus do Ministério da Sáude aqui.


Temas